Thursday, July 09, 2009

Um irmão em busca de si, parte e 4



Este vídeo é um presente para meu irmão Uri, que terminou o Camino de Santiago, mas, ao não conseguir adiar o vôo de volta a Barcelona, não pôde caminhar mais uns dias, até Finisterre, como ele queria. Uri, aqui tens o vôo, pelas paisagens quase virgens da Galícia, até o fim da terra, onde espera o mar - ou uma mulher.

Esta é sua crônica:



Sei que parece impossível, sei que muitos não acreditavam em mim, sei que sua fé em minhas pernas não era superior à minha, mas a vida é assim, surpreendente e maravilhosa.

730 km a pé dão muitas histórias, e a palavra escrita não basta. Mas, vou dizer. Neste mês fui benzido mais vezes do que em toda minha vida. Por 300 km caminhei ao lado de Frodo, o portador do anel, deveriam ter visto seus pés. Lavaram e beijaram meus pés como Jesus fez com os apóstolos, fui ordenado cavaleiro da ordem dos Templários, dormi em chãos duros de ginásios e chãos ainda mais duros, de pedra. Caminhei de dia e de noite, sob a chuva e sob o sol, só e em companhia, com hobbits e com bruxas, e enfrentei cachorros e outros animais. Vi uma cabeça aberta ser fechada com grampos. Dansei e bebi e cantei à saúde da vida, dormi em lugares que nunca imaginariam, ouvi sons horríveis produzidos por homens. Conheci pessoas dos cinco continentes. Caminhei 41 km em um dia. Furei minhas bolhas, passei creme em minhas coxas, isso foi o mais perto que estive do sexo. E depois de 31 dias, cheguei a Santiago.

Não virei maluco, não saí dos trilhos. Nunca estive tão são, e o Camino me ensinou que a loucura é o dia a dia que vivemos neste mundo ocidental, que pirou. Não vou fazer discursos. São as ações, não as palavras as que valem. Mas minha vida a partir de agora vai seguir um caminho mais Tao, porque o Camino de Santiago é somente o mais curto dos caminhos que devemos recorrer. Mas é importante, porque é o primeiro.

Minha barriga não sumiu, deve ser genética, porque eu emagreci, e ela segue aqui, tão redondinha, bonitinha, orgulhosa de si. Fiquei bronzeado, mas o bronzeado pelegrino é antiestético, vou ter que ir à praia de manga comprida. Aprendi que não importa quanto tempo a gente fique esfregando sabão, se ao lado, na única privada, 60 pelegrinos defecam. Como caminhar tanto deixa o interior do corpo podre! Posso dizer que The North Face gasta mais em propaganda do que em produtos, e que os Compeed estão superestimados. E já não tenho mais vergonha de entrar na farmácia e pedir dois potes de vaselina, por favor. [Antes tinhas, Uri, irmão?]

O Camino é grande e rico em experiências. Mas não é assim que a vida deveria sempre ser?

Finalmente, é bom lembrar: a vida passa, mas o caminho se faz.


PS nada a ver: Roger índio:




PS 2 nada a ver (divulgando a literatura em catalão):

3 comments:

Ronaldo said...

Uau... é de família este dom para escrever... Esta crônica dele esta maravilhosa... Parabens pelo teu irmão Ru.

Roger said...

É que ele teve um bom professor. Não, tô brincando. Mas crônicas hilárias são as suas, Rô. Estou esperando a próxima, para postar aqui. Beijo baiano. Ups, não, tá. Beijo e abraço forte.

uri said...

OUH YEAH!!!!

ja sóc aquí bro' i ja tinc ganes de tornar a marxar!!!! Per sort, si tot va bé, aquest mes d'agost FARÉ UN TOUR PER eL SALVADOR, COSTA D'IVORI I CAMBODJA, PERÒ JA T'EXPLICARÉ!!!!

grazie pel vol fins al mar, fisterra queda pendent, que no oblidat i muito obrigado al Ronaldo pela sua crítica da mia crónica ;-)

obrigado a tu tambem per publicar i dedicar posts als meus viatges!!!!

ala nene, el pròxim dia et passo unes fotillos!!!!

una abro'çada

uri