Saturday, September 15, 2007

As quatro estações

Várias coisas eu gostei no documental sobre Renato Russo ("Por Toda a Minha Vida") que passou ontem na TV Globo (algumas eu sabia por ter lido o livro de Arthur Dapieve em que o documental está baseado). 1) Renato cortou os pulsos quando era o Trovador Solitário, antes de formar a Legião Urbana. Provavelmente não com a intenção de se matar, mas... 2) Durante a gravação do primeiro CD, dois produtores desistiram, cansados de brigar com a banda. O terceiro quis fazê-lo também. Na dramatização, ele aparece no carro, sob a chuva, indo embora do estúdio, com Renato e Bonfá correndo atrás dele para tentar lhe convencer de voltar. "Você quer que a Legião seja a maior banda do rock nacional?", pergunta o produtor, chateado. "Quero." "Então segura a onda, Renato." Gostei muito dessa expressão, segura a onda, que eu tinha lido e até ouvido algumas vezes, mas cujo sentido só entendi realmente ontem. Não saberia traduzi-la. Segurar em espanhol é "agarrar", "sujetar"; onda é "ola", "ola del mar". (O "Força sempre!" com que Renato encerrava os shows seria uma versão desse "segura a onda"). 3) O último CD da Legião, A Tempestade, meu preferido, foi gravado três meses antes da morte de Renato, quando ele estava já muito doente. O que não sabia é que quase todas as músicas desse álbum foram first takes (Renato se recusou a regrava-las). 4) Foi legal ver de novo o trecho da entrevista em que Dado-Villalobos explica o que significa em português Legio Urbana Omnia Vincit, porque ele faz isso dum jeito muito querido, devagar, como falando para criança, como se ele mesmo estivesse descobrindo o significado da frase nesse momento. 5) O breve depoimento do filho, Giuliano, cuja música preferida, ele diz, é "Perfeição". (Só faltou, para mim, o depoimento que a mãe de Renato fez uma vez num outro programa, em que ela dizia que aquilo do que sentia mais saudade era do abraço do seu filho, um abraço muito forte que a envolvia. 6) Os peitinhos da Fernanda Lima, apresentadora do documental, quando aparece vestida de macacão (em espanhol, mono; mono de mecánico, tchê).

4 comments:

Maria Fabriani said...

Ah! Legião! Cresci com eles, me deprimi com eles e chorei com eles com a morte do Renato Russo! Poxa, eu queria ver esse documentário e ler o livro do Dapieve! Vou pedir pro meu pai me mandar o livro! Ah, que barato de post, Roger! Segurar a onda é algo muuuuito carioca, por isso você, mezzo-gaúcho, não conhecia a expressão!

Roger said...

Se eu tivesse gravado, eu enviaria pra você... Mas é o livro que é bom mesmo. Eu já gostava muito da Legião (e foi uma amiga carioca quem me deu a conhecer a banda -viu, também sou um pouquinho carioquinha :p), mas mergulhei realmente nas letras e músicas do Renato depois de lê-lo. Fiquei feliz com seu comentário!!

Vittro said...

eu nao sou carioquinho mais quero participar um pouco neste blog! Beijos, vou ouvir coisas de Legiao... (!) ;-)

Roger said...

Então seja bem-vindo, sinta-se em casa! :o)

E tomara que goste da Legião!

:))