Saturday, November 24, 2007

Aborto

E olha esta de uma mulher "anti-aborto" (ou "pró-vida", como eles gostam de serem chamados) em uma carta à Folha:

"Se as pessoas que são a favor do aborto tivessem sido abortadas, hoje teríamos menos gente a favor do extermínio e mais gente a favor do respeito à vida."

Hein?

Aborto elétrico pra ela!


PS: O ministro da Saúde do governo Lula, José Gomes Temporão, a favor da descriminalização do aborto e de tratar o problema como uma questão não ética e sim de saúde pública, é chamado de "ministro da Morte" por pessoas como a assinante da carta.

Cada ano, centenas de mulheres pobres morrem no Brasil em operações de aborto realizadas em condições ruins; cada ano são realizadas centenas de milhares de operações de aborto (segundo a ONU, mais de um milhão); mulheres ricas abortam em clínicas privadas ou em paises onde o aborto é permitido.


...

4 comments:

Maria Fabriani said...

Concordo!!!!! Perfeito!!!! Essa é uma das razões que eu adoro morar na Suécia! Não aguento esse estado mistutado com a igreja que näo vê o bem do cidadão comum, apenas a moral e tudo isso. Um vexame! Viva esse ministro!

Roger said...

Oi Maria!

:) Tomara que o Brasil um dia chegue lá, onde a Suécia e outros países estão, e abortar não seja mais visto como um crime... Porque agora o aborto desgraça as vidas tanto das meninas que o fazem quanto das que não.

Mauro said...

Pois é, o ideal é dar *educação* para que as pessoas não engravidem sem desejar e não precisem fazer o aborto. Porém, se a situação acontece e a mulher precisa fazer, então precisa poder fazer com segurança. Tem que ser legalizado mesmo.

Roger said...

É, educação...

Obrigado, Mauro, por não ter ficado chateado com o "roubo" da sua foto! :)