Tuesday, July 15, 2008

Jeito europeu

Depois de uns dias dedicados à família e a terminar um trabalho atrasado, hoje estive livre para sair à cidade fazer algumas tarefas. Peguei o carro, porque o trânsito em julho está tranqüilo, e fui a uma das duas editoras com as que às vezes colaboro. A editora assistente que eu conheço, muito querida, estava doente, e fui atendido pela secretária. Atendido entre aspas, pois só me dedicou dois minutos. E a mulher ainda estava com cara de poucos amigos, séria... Pensei que talvez estivesse chateada por não estar já de férias, na praia. Deixei uns documentos lá, e fui embora. Vinte minutos depois, em uma livraria onde fui encomendar uns livros que uma professora me pediu, a mesma coisa: mulher séria, na beira do antipático. Pensei que talvez houvesse alguma coisa de errado comigo, na minha cara. Encomendei os livros, e fui embora. Desisti de ir comprar uma camisa, não queria gastar cem euros e ainda ter de levar mais um olhar desses. E então, indo para o estacionamento, me dei conta, caiu a ficha, como se diz: Tchê, estou em Barcelona, Europa! (Ainda bem que não é Paris, mas mesmo assim!) Não dá para falar em melhor ou pior, não seria justo. Mas lembrei-me do sorriso da moça que me vende os pacotes de massa na lojinha da rua Vasco Alves, dos vendedores e vendedoras atenciosos das livrarias de Porto Alegre, das mulheres que servem café, no Centro ou na faculdade, que sempre têm alguma coisa a me dizer, aquele comentário, aquele human touch. Por não falar dos soteropolitanos, a turma do albergue Laranjeiras, os taxistas, que teve um que até cantou para mim... Enfim, isto aqui é isto aqui, e aquilo lá é aquilo lá. Só vou ter que me lembrar de anotar esses sorrisos na lista das coisas que eu gosto do Brasil.

7 comments:

AKessler said...

Tri, Roger. Ouvir elogios da terra da gente é sempre bom. Uma coisa que me passou à cabeça é que, às vezes, a nossa própria alma abre mais sorrisos no estrangeiro por se sentir livre de raízes e amarras. E do passado. São sorrisos que geram sorrisos. Experimente provocar com sorrisos. Quando fui à Barcelona, achei o povo tããão simpático! Talvez eu é que estivesse.. (hehe). Boas férias, aproveite bastante.

Roger said...

Gostei disso que tu escreveu... Se sentir livre de raízes e amarras, e do passado. :) (Quando há tanta gente querendo "se enraizar"! :o)

Eu respondo facilmente com sorrisos. Agora, provocá-los é menos a minha cara...

Obrigado e aproveita tuas férias também (se as tiver). Tua filha deve tê-las, né?, da escolinha? :)

Beijos!

優次 (Yuji) said...

O sigui, que ara ets a BCN de vacances? xD Espero un dia poder anar-hi :/

Que bé que hagis trobat coses bones aquí. Me n'alegro. Jo, en canvi, ja estic tip de certes coses... Potser allà al sud tot és més tranquilet?

Roger said...

Suposo que al sud la gent es pren la vida de manera més tranquil·la que a São Paulo, sí. De coses bones al Brasil n'he trobat moltes. Bones, dolentes i de tots colors, com a tot arreu. Però per a mi, ara, és un molt bon lloc per viure, i m'agraden els brasilers que conec...

Si vens a Barcelona, no hi vinguis al juliol o l'agost, que no sentiràs parlar gaire català... ni castellà. :)

srtaParker said...

Roger...eu gosto de te ver sorrindo! Sorria mais! bjs

Roger said...

:( :p :D

Anna Faedrich said...

ADOREI o post, Rogerzitcho (quase um soteropolitano)!

gostei da parte do "human touch" e o "Tchê" ;)

A vida é tão mais leve quando repleta de sorrisos, né!! =D

"Sorriaaaaa meu beeeem,
sorria!!!!!!!
eu sempre lhe dizia
quem ri por último ri melhor
chorar pra que? chorar!
você deve sorrir
que outro dia será bem melhor!!!!!!!!!!"

rsrsrs

beijos sorridentes pra ti! ;)