Tuesday, August 10, 2010

Vocês ficam depois do mar

O mês passado, a Anna assistiu ao IV Congresso Internacional de Pesquisa (Auto)biográfica, na Universidade de São Paulo. Era um congresso sobre "a construção da subjetividade", "o espaço autobiográfico", "a vida como obra de arte", "a memória individual e coletiva", etc.: tudo o que interessa à "Anna doutoranda". Falaram António Nóvoa, Luiz Felipe Pondé, Serge Lapointe, Ana Maria Melo, Paulo Caruso, Ruy Castro, Bia Lessa e muitos outros, e a "Anna doutoranda" adorou. Só houve um problema: o mini-curso da manhã que a Anna escolheu. Ministrado por pedagogas, era para ser "uma discussão sobre as inúmeras possibilidades de expressão de si", "sobre teóricos do imaginário como Gaston Bachelard e Gilbert Durand", e acabou sendo um cursinho bobo em que os alunos viraram crianças, fizeram exercícios de cortar e colar, desenharam, etc.; em vez de Bachelard, por exemplo, perguntas como: "Ao longo de sua vida, você lembra quem foram os professores ou as pessoas que lhe ensinaram e mais lhe marcaram?". A Anna me contou isso chateada. Mas acontece que, num desses exercícios, escreveu um breve diálogo que eu adorei - e que lhe pedi como presente, para postar aqui no blog. Tratava-se de evocar algum fato dos tempos da escola, e ela lembrou de quando fazia teatro e sua turma encenou uma peça sobre o Descobrimento de América, com Cristóvão Colombo, Pedro Álvares Cabral, Américo Vespúcio. (Ela ganhou o "óscar" de "atriz coadjuvante".) Eis o diálogo.




-Luz, câmera, ação!
-Cooorta! Cadê o Cristóvão Colombo?
-Sora, eu vi o Colombo indo no banheiro.
-Não dá pra começar sem o Colombo, gente!
-E nós, onde ficamos?
-Nós, quem?
-Os índios, sora!
-Vocês ficam depois do mar.
-O plástico do mar tá rasgando.
-Então não sacudam tão rápido!
-Mas o mar tava agitado, sora!
-O Colombo chegou! Com uma índia!
(Risos.)
-OK, vamos recomeçar.

2 comments:

Anna Faedrich said...

Ru, queridão, ficou lindo teu post! (Como é que pode???) Como tu lembrou desses nomes todos (palestrantes) e de tudo o que te contei sobre o Congresso??? ;p
Depois, a gente chama as estudiosas da educação de "pedaBOBAS" e não sabem por quê!!! Ora Bolas!!!
Passar DUAS HORAS (durante TRÊS dias) cortando imagens de revistas, com tesourinha e colinha, canetinha, giz... AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF.

Agora, só tu mesmo pra curtir esse diálogo, que ia acabar no lixo, pois escrevi sem a menor vontade, só pra "disfarçar" que fazia alguma coisa na sala (já tinham acabado as revistas, então eu tava sem material =/ afffffe).

Salve a professora de história Nelba, do colégio D. João Becker, que conseguia, apesar de tudo, promover peças teatrais históricas e incentivava, através do Festival do "Oscar", os alunos a participarem e quererem produzir algo bonito! :) Só quem viveu naquele ambiente pra saber que o que ela conseguia com isso era MUITO! :)

É difícil, muito difícil, ser professor da rede pública, ainda mais do Ensino Médio... vai mandar esses alunos recortarem imagens de revistas pra ver só...

:p

Beijão!!!

Roger said...

Pois eu adorei esse diálogo que tu escreveu sem vontade" :) Adorei "os índios, sora!" (óbvio, sora!); adorei esse "depois do mar", e "o mar estava agitado", huahauhuahs! Queria ter visto isso...

E imagino como deve ser difícil, sim, e fico triste de saber como é mal pago, aqui no Brasil e nos países que conheço, o trabalho de professor de 1º e 2º grau. Como se não fosse importante, né?

Afinal, essas pessoas nos marcam, lembramos deles para sempre. Nesse exercício de lembrar teus melhores professores, imagino que logo um monte de lembranças te vieram à mente... :)