Saturday, August 14, 2010

O fundamentalista relutante, de Mohsin Hamid

Terminei de ler O fundamentalista relutante, de Mohsin Hamid, que a Anna me recomendou. Muito bom. O livro aborda fatos mais ou menos conhecidos da atualidade de um outro ponto de vista, o que não é pouco. Num monólogo, sentado à mesa com um norte-americano num restaurante de Lahore, um jovem paquistanês conta sua vida nos Estados Unidos pré e pós-11 de setembro: sua formação na universidade de Princeton, seu trabalho como avaliador de empresas para uma firma do setor financeiro, em Nova York; sua paixão por uma norte-americana, Erica - que, por sua vez, vive presa a uma extraordinária história de amor (eu queria ter lido mais sobre essa história dela...).

O romance daria uma perfeita peça de teatro. Isto, se algum ator fosse capaz de memorizar as 171 páginas. Outro ator só deveria ficar sentado à mesa, fazendo caretas. E um terceiro (me ofereço para o papel) faria de garçom, só deveria ir levando à dupla delícias da gastronomia do Paquistão.

(Em espanhol: El fundamentalista reticente, Tusquets Editores.)

5 comments:

Anna Faedrich said...

Muito bom, né, Ru!! :) Eu sabia que tu ia gostar!

Adorei imaginar como ficaria numa peça de teatro! Que ideia boa! :)
Mas sabe o que eu acho, que numa peça de teatro não deveria aparecer o "outro ator" sentado na mesa... pois é como se ele não aparecesse no romance, né? Tudo o que a gente sabe dele, as caretas, expressões, é através do narrador-protagonista... então, (já posso até imaginar a encenação), imagino um bom ator (tem que ser bom, né? Tipo o Emerson assim ;p) falando, monologando, dialogando com o interlocutor invisível...

E tu de garçom! Nooooooooossa! Isso eu também posso imaginar! ;) U-A-U!

rs

beijão!

Sergio Lulkin said...

´Nem a fer-ho, guiò-adaptació Anna F., actor Emerson, cambrer Rú-ggero i training Lulkin. Primer montatge de l´ambaixada al exili. A veure aquest llibre, encara un de més després de la llista d´en Cardús.

Roger said...

Oi Anna! Tu está certa, que pouca "visão teatral" a minha! Essa peça precisa de um único ator, sim, na fala dele já está tudo o que é necessário saber sobre o ouvinte norte-americano e sobre o garçom...

Mas viu? O Sergi (que, ele sim, sabe muito de teatro) já está imaginando a peça! E te atribuiu a tarefa de escrever o roteiro!!!! :))) Ele seria um bom ator para a peça, né?


Què hi dius, Sergi?

El nostre cafè em sembla que no podrà ser amb la Gabriela i la Júlia. Però espero trobar-te per fer un capuccino abans del dia 31 (els primers dies de setembre vaig cap a Barcelona, passaré tres setmanes a caseta).

Anna Faedrich said...

Queridos!

Que ideia genial, Sergio!
Eu adoraria trabalhar em conjunto com vcs! :) :) :)

Sim, Roger, eu também concordo, o Sergi seria um ótimo ator para a nossa peça! ;) :)

Beijos e beijos.
Vou ter que aprender catalão urgente para fazer parte dessa "ambaixada al exili"!

Sergio Lulkin said...

Quina il.lusió, pasar dies à la nostra Barça, en Septembre! Que t´aprofiti. Demà vaig a buscar el meu llibre fundamentalista à la Cultura. Després parlem de la producció...
Cardús, com fem? Un dia de setmana? Un dinar? Fins aviat.