Saturday, November 15, 2008

O título do filme é horrível e o subtítulo também..., então... Sobre o filme do W. Allen que se passa em Barcelona (extended)



Opiniões conflitantes sobre o filme que estreou ontem no Brasil. A crítica (norte-)americana gostou muito (críticas especialmente positivas na New Yorker e no NYT). A crítica européia gostou pouco. A crítica espanhola e catalã não gostou. Meu irmão Uri, há um ou dois meses, quando viu o filme, escreveu um e-mail tão cheio de xingamentos (ele geralmente escreve e-mails com xingamentos, mas esse tinha xingamentos demais por linha :) que eu (uma pena, porque estava engraçado) resolvi não reproduzi-lo aqui (e olha que meu irmão tem um Woody Allen em papel machê, de 50 cm, no antigo quarto dele); uma jornalista de El País escreveu um artigo também xingando o diretor (mas essa está meio doidona). A Gabriela, que viu o filme ontem aqui no Brasil e que adora Barcelona, achou o filme muito bom. Enfim, eu respeito todas essas pessoas e opiniões (excetuando a da doidona), então... só assistindo! Por enquanto, há uma opinião unânime (inclusive meu irmão, que não gosta dela, concorda, e isso me deixa feliz, porque faz parte de uma velha briga entre nós): a Penélope arrasa com tudo e com todos. A outra coisa é que eu gosto do cartaz... e então posto o cartaz.


PS: Ah, para os amigos de Barcelona: Segundo a Zero Hora o filme é 4 (de 5) estrelas; segundo a Folha de S. P. é "bom", com altos e baixos.


PS2: Já posso opinar. Tive a sensação de estar vendo um bom filme de um diretor principiante. Ou uma boa história provavelmente escrita às pressas. A segunda parte é melhor. Não achei paixão nas cenas de sexo (só no beijo da Penélope à Scarlett). Algumas frases sobre o amor me pareceram meio bobas. Uma Barcelona mais real e intensa é a de Todo sobre mi madre (estou comparando só a imagem da cidade, se for comparar os filmes, ai). Achei as dúvidas das personagens, ou talvez a forma de serem expressadas, próprias de pessoas mais novas do que as representadas (se bem que a gente não muda muito, né?). É para ser um filme triste (segundo o diretor) e isso eu só o percebi no final (na cena do aeroporto), não permeia o filme, que às vezes parece não saber bem o que é. É difícil construir uma história verossímil com três atores tão conhecidos? (Eu não consegui deixar de ver eles.). Por que caralho aparece o Joel Joan?


PS3: O psicólogo Contardo Calligaris viu o filme e gostou, achou-o leve, bem-humorado e, no final, triste. Considera-o "um pequeno tratado do amor paixão", e diz que os espetadores "terão o prazer (ou desprazer) de se reconhecer em algum lugar do leque de experiências amorosas que o filme apresenta - um leque pequeno, mas do qual escapamos pouco".

Com exemplos do filme, ele faz considerações interessantes sobre o amor-paixão.

"1) Os casais que se amam de paixão, cujos parceiros parecem ser feitos um para o outro, em regra, acabam tentando se matar (Juan Antonio e María Elena). É porque, se o outro me completa e vice-versa, o risco é que nenhum de nós sobreviva à nossa união - ao menos, não como ente separado e distinto (...).

2) Por sorte ou não, o amor-paixão é raro. A maioria de nós vive relações menos 'interessantes' e menos fatais - relações em que a gente se preocupa em criar os filhos, decorar a casa, ganhar um dinheiro (Vicky e Doug) (...). Detalhe: nesses casais 'normais', ao menos um dos parceiros vive com a sensação de que sua escolha amorosa é resignada, fruto de um comodismo medroso (...).

3) Os que parecem não idealizar o amor paixão passam o tempo se protegendo contra ele. Deve ser por isto que a normalidade amorosa pode ser insuportavelmente chata: porque ela exige a construção esforçada de defesas contra a paixão (Doug).

4) A paixão não é uma coisa que a gente possa encontrar saindo pelo mundo como um turista da vida (Cristina). Pois não basta esbarrar na paixão; é preciso encará-la quando se apresenta".

"Para mim", escreve Calligaris na Folha, "a mais 'patológica' de todas as personagens do filme é Cristina. Sua aparente abertura para a vida ('Ela não sabia o que queria, mas sabia o que não queria', narra a voz em off) é apenas uma versão 'bonita' e literária de sua 'insatisfação crônica' (diagnosticada por María Elena, com razão). Nisso, Cristina é muito próxima da gente: ela consegue brincar com a paixão, mas sem perder a ilusão da liberdade ou o sonho do que ela poderia encontrar na próxima esquina. Por isso, sua voracidade é a do turista: tira muitas fotos pelo mundo afora, mas será que ela se deixa tocar pela vida?".


PS4: Cristina, em letra de The Smiths:

Sad veiled bride [Vicky], please be happy
Handsome groom, give her room
Loud, loutish lover, treat her kindly
(Although she needs you more than she loves you)

I know it's over
And it never really began
But in my heart it was so real
And you even spoke to me and said:

"If you're so funny
Then why are you on your own tonight?
And if you're so clever
Then why are you on your own tonight?
If you're so very entertaining
Then why are you on your own tonight?
If you're so very good looking
Why do you sleep alone tonight?
I know because tonight is just like any other night
That's why you're on your own tonight
With your triumphs and your charms
While they are in each other's arms"


PS5: Well, I don't want to be a "Cristina", but I want to be a "sad veiled bride" less. That would also explain why there are so many Cristinas.


PS6: Eu adoro quando a Penélope afirma, meio gritando, meio chorando, irritada por ter se dado conta disso tão tarde, nos braços de Juan Antonio e em frente de uma Cristina desconcertada: "Cómolosabíacómolosabíacómolosabía!!". (Certo que foi idéia dela!)

7 comments:

uri said...

la peli és una castanya!!!!! Ja saps què crec i no ho repetiré, però és cert, i no recordo si ho vaig posar o no a la meva crítica, el cartell és brutal!!!!!!

ara, què dir quan el millor d'una peli és el seu poster...

tu ves llegint crítiques del new yorker i el new york times fins que perdis tot sentit de la realitat i pel que fa a la gabriela, respecto sua opiiniao, però crec que li ha molat perquè ha vist llocs guais (sísí guais) que li han recordat el seu viatge aquí, però no pas per la peli en sí

bueno, ja no dic res més que em faig mala sang!!!!

uri

PD.- Doidona? la maruja doidona?!?!? tiu, crec que el NY times et comença a fer massa mal...

Roger said...

"Em suma, o clichê definitivo da espanhola. Mas, com ela, virá a idéia interessante da beleza de amores que nunca podem se realizar."

"Entre amores, hesitações, negativas que dizem sim, etc. o filme segue em frente sempre oscilante, ora muito interessante, ora muito menos. Mais interessante sempre que capta o amor nesses momentos de vácuo, em que a paixão já passou ou ainda não se manifestou plenamente."

Da Folha de S.P.

Altibaixos, Uri, no siguis radical!

Nitus said...

Potser no és tant castanya com diu l'Uri però a mi no em va fer ni fred ni calor,molt millor Match Point (i molt millor també la Scarlett en aquella).
La Pe quan fot de barroera i histèrica és la millor.

Roger said...

Hola Nitus! Molt millor Match Point, sí. La millor que el mestre ha fet en els últims... 20 anys?

I que la Scarlett estava millor, ho dius per la camisa mullada, eh, marranu? :p Estava molt sexy, true.

La Penélope fa molt bé el paper d'histèrica, però ha demostrat que fa molt bé altres papers, també (encara que l'Uri no ho accepti).

uri said...

Altibaixos... sí clar, altibaixos, si vols podriem dir també que la 2a guerra mundial va ser una successió d'altibaixos!!!!!!!!

I pel que fa a la Pe... estimats, sí que fa bé d'histèrica, però és que no actua, ÉS UNA HISTÈRICA i per això l'únic mèrit de què la Pe sigui el millor de la peli el té que el mestre woody veiés que és una histèrica i li escrivís un paper a mida i que el mestre en hores baixes woody, fos incapaç de crear cap altre personatge mínimament interessant que li pogués fer ombra.

A part d'això, quan dius, o bro, que la Pe ha demostrat en altres pelis que pot interpretar altres registres suposo que et refereixes a Jamón, Jamón, peli en la que feia d'adolescent histèrica insuportable però on no interpretava tampoc perquè llavors, amb 16 anys ERA UNA ADOLESCENT HISTÈRICA INSUPORTABLE!!!!! (a part de tenir un cos de tia bona que no es corresponia amb sa seua edat)

I pel que fa a la Scarlett, doncs sí, estava millor a matchpoint, però no només per la samarreta mullada (no siau perversos, si us plau!!!!) sinó perquè allà tenia un personatge de veritat, tridimensional, que pensava i evolucionav durant la peli

Però seguiu així, seguiu tancant els ulls a la relitat i alavant pel·lícules de merda que crec que al final se'ns farà tan malbé el cervell a tots plegats que ja no sabrem valorar les bones pelis ni quan ens les fotin davant la cara i ens obliguin a veure-les com li fan a l'alex a la naranja mecánica amb el mètode ludovico!!!!!!! (sí, sóc cinèfilu, i què!!!)

i després voldreu que faci el curt!!!! Per què em dic jo, si serà tan bo que ningú l'entendrà!!!!!!

uri

Roger said...

Jo només vull afegir que ja m'he cansat del poster. Com més me'l miro, menys m'agrada.

Em sembla que el canviaré per una escena lèsbica.

uri said...

A veure bro', entre tu i jo, una cosa és que vulguis ser políticament correcte quan dones opinions que penges a la red i l'altra és que et facis caquetes i maquillis el que penses d'aquesta manera!!!!!

A veuyre, que la peli és mala ho saps tan bé com jo, que si ens hi posem trobarem algo bo, ho sé tan bé com tu, però el que has escrit és una camama per no enfadar ningú i això no ho accepto!!!!

Sí, porky's també té algun detall divertit, però no series tan benèvol en la seva crítica i si els actors famosos no fossin el bardem i la pe simplement diries que són malos perquè en cap moment te'ls has cregut en comptes de dir el difícil que deu ser crear uns personatges verossímils a partir d'una gent com ells i patatim i patatam!!!!

en resum, una mica de sang cagumcony!!! Les coses com siguin!!! Que el mestre és una de les figures més destacades del cinema del darrer terç del s.XX és una veritat inqüestionable, però això no treu que quan es dedica a timar a la gent no ho poguem dir

uri dixit

PD.- lo del joel joan és tan misteriós com increïble, però jo no em vaig ni adonar que sortia!!! En serio, on surt? en quina escena? quin paper fa? No és conya, no sé si el vaig obviar per fer-ho malament o per ell, però et juro que no recordo haver-lo vist a la peli... porca misèria!!!! JAJAJA